Drywall – Conheça suas vantagens e funcionalidades

Drywall – Conheça suas vantagens e funcionalidades

Pensando em construir as paredes no sistema drywall? Então agora é preciso entender todas as vantagens e como funciona esse processo de construção enxuta e ecologicamente correto.

O sistema drywall é o processo construtivo de paredes, forros e divisórias, a seco, ou seja, não necessita de água ao contrário do que, por exemplo, acontece na alvenaria. É composto internamente por perfis de aço galvanizado e revestido por gesso acartonado.

Pode ainda ser preenchido por lã de rocha ou fibra de vidro, aumentando consideravelmente o conforto térmico e acústico.

Publicidade


drywall
Drywall
Fonte: pixabay (pixabay.com)

O drywall surgiu no fim do século XIX, para suprir a necessidade de construções rápidas depois de dois grandes incêndios – Chicago em 1871 e Nova York em 1890.

Mesmo tendo sido criado originalmente no Reino Unido, foi o americano Augustine Sackett quem patenteou a ideia.

Publicidade

Inicialmente era fabricado com placas de gesso molhadas, mas logo evoluiu até as placas de gesso seco que conhecemos hoje.

Sistema de Construção Drywall

1 – Preparação

O Sistema de construção em Drywall é formado pela fixação de perfis de aço galvanizado no teto e no piso, com o auxílio de parafusos com buchas ou parabolts. Logo em seguida são posicionados e parafusados os perfis verticais a cada 60 cm.

dreywall
Preparação dos perfis de aço
Fonte: flickr (www.flickr.com)

Os perfis de aço, antes de tudo, servem para sustentar as paredes. Sejam elas projetadas para receber peso ou não.



Desse modo os perfis de aço são os responsáveis pela fixação de todas as chapas.

Consequentemente possuem a finalidade de formar forros e divisórias.

drywall
Perfis de aço para fixação das chapas de gesso
Fonte: mercadolivre (produto.mercadolivre.com.br)

Mas além disso, o drywall fornece inúmeras possibilidades de utilização. Portanto pode-se dizer que ainda se trata de um produto subutilizado.

2 – Fixação das placas de gesso

Uma vez que seja feita a preparação da estrutura metálica, parafusa-se as placas nos próprios perfis. O ideal é parafusar de cima para baixo deixando 30 cm entre pontos de fixação e 1,0 cm da borda.

As espessuras do drywall ficam em torno de 4,8 cm, 7,0 cm e 9,0 cm. Pois na verdade, essas medidas dependem das almas (altura do lado maior) dos perfis de aço.

Entretanto, não se esqueça de somar as medidas das chapas de gesso, aproximadamente 1,25 cm.

Esse distanciamento devido aos perfis de aço deixam um espaço vazio entre as placas de gesso, e é justamente isso que torna tão atrativo o processo de fabricação de paredes em drywall.

Publicidade

drywall
Fixação das placas
Fonte: httpelizeugessojoinville (httpelizeugessojoinville.com.br)

Nos espaços vazios, é possível antecipar em projeto a passagem da tubulação elétrica e hidráulica, evitando os cortes em alvenaria, e reduzindo de 30%  para 5 % os resíduos da obra.

drywall
Instalações elétricas
Fonte: pinturamil (pinturamil.com.br)

Completando a estrutura interna da parede, ainda podemos acrescentar revestimentos que ajudarão no conforto acústico e térmico.

drywall
Preenchimento termoacústico
Fonte: httpstollinstaladora (httpstollinstaladora.blogspot.com)

Esses revestimentos podem ser feitos de lã de rocha, fibra de vidro ou espumas prontas de poliuretano.

3 – Acabamento

Sem dúvida alguma o acabamento nas chapas de gesso acartonado é uma das etapas mais importantes no processo de construção em drywall.

De nada adiantará uma parede fortemente estruturada, se o acabamento final deixar a desejar. Portanto, vamos passo a passo mostrar como trabalhar com as juntas que ficam entre as placas e os materiais necessários:

3.1 – Massa para tratamento das juntas

A massa utilizada no nivelamento entre placas é específica para o gesso acartonado. Não se deve utilizar nenhum outro tipo de produto, como por exemplo a massa corrida.

drywall
Aplicação de massa
Fonte: britannica (www.britannica.com)

As juntas devem estar limpas e as bordas das chapas levemente desbastadas em 45°.

Depois de limpar as juntas, a massa deve ser aplicada com a ajuda de uma espátula, preenchendo totalmente os espaços e espalhada aproximadamente 7 cm para cada lado.

3.2 – Papel micro perfurado

O papel micro perfurado deve ser usado logo após a aplicação da massa, e da mesma forma, com a ajuda de uma espátula.

A fita de papel micro perfurado deve ser colocada no centro das juntas, e apertada até que o excesso do produto saia pelas laterais.

Publicidade

drywall
Papel micro perfurado
Fonte: flickr (www.flickr.com)

Nos locais onde as fitas se sobrepuserem, primeiramente é necessário cortar uma das linhas da fita evitando dessa forma o aumento de volume naquela área.

Em seguida, aplique mais uma fina camada e deixe secar.

A segunda de mão, assim como a primeira, deve ser espalhada transpassando o centro em 7 cm ou mais.

Uma vez que a massa esteja seca novamente, posteriormente as juntas podem ser lixadas até que se atinja o nivelamento completo entre elas.

drywall
Nivelando as juntas
Fonte: picryl (picryl.com)

3.3 – Cantoneiras de preenchimento

As cantoneiras de preenchimento são usadas nos acabamentos de cantos e quinas.

Elas podem ser de dois tipos:  Cantoneiras perfuradas de aço galvanizado ou de fita micro perfurada, sendo essa a mais indicada quando os cantos apresentarem angulações diferentes de 90°.

Sua aplicação acompanha os processo anteriores. Basta passar a primeira de mão de massa e posicionar as cantoneiras nos locais apropriados.

drywall
Cantos e quinas necessitam de cantoneiras
Fonte: pixabay (pixabay.com)

Em seguida, logo que a massa estiver seca, a segunda de mão é aplicada, e igualmente lixada conforme o processo de preparação das juntas.

Resistência e Durabilidade

Primeiramente é necessário esclarecer que placas de gesso e Drywall não são a mesma coisa.

Drywall é um sistema montado com perfis de aço galvanizado que possibilita a fixação das chapas de ambos os lados ou apenas de um, como é o caso da aplicação em forros.

Isso significa dizer que o sistema drywall estrutura o revestimento e não pode ser medido apenas pela resistência dessas chapas.

Pois de acordo com o projeto do sistema, ele poderá conter mais ou menos perfis de aço.

Resistência x conhecimento

A cultura brasileira ainda tem como base que a alvenaria, ou seja, estruturas pesadas são a opção ideal na fabricação de paredes e forros. Justamente por serem mais resistentes.

drywall
Forros
Fonte: commons.wikimedia (commons.wikimedia.org)

No entanto, a ABNT divulgou em 2013 a NBR 15.575 – a norma que define o desempenho de edificações habitacionais, a referente norma atestou de uma vez por todas a resistência na construção das divisórias internas em drywall.

Mas analisando apenas com um simples raciocínio lógico:  Porquê as paredes internas devem ser tão resistentes quanto as internas? A resposta é, “não precisam!”

As paredes externas tem nas vigas e pilares a sua sustentação estrutural.

Portanto, paredes, vigas e pilares precisam atender a todos os esforços sugeridos em norma. Ficando as paredes internas e forros, um caso a parte para ser definido em projeto.

Basta dizer que, exemplificadamente, o sistema drywall dá conta do recado.

É claro que as paredes de gesso acartonado não irão suportar a batida de um veículo, ou um galho de árvore. Mas nem precisam! Lembre-se que elas são usadas na parte interna das construções.

Caso ainda queira expandir a obra e colocar gesso nas paredes externas, sem problema! O sistema de construção steel frame, baseado no processo drywall, permite que toda a sua casa seja fabricada e sustentada com perfis de aço.

Publicidade

As paredes fabricada em Drywall podem sustentar até 50 kg por ponto de fixação, além do mais, se o posicionamento dos perfis de aço for projetado levando-se em conta uma situação especial, esse peso pode ser bem maior.

Quanto tempo dura uma estrutura em Drywall?

A garantia geralmente dada pelos fornecedores é de 5 anos. Mas a sua durabilidade não tem um limite definido.

Assim sendo, essa durabilidade irá variar de acordo com o local que será aplicado, também se deve levar em conta a mão de obra utilizada – e finalmente a qualidade dos produtos.

Um fator fundamental é a escolha correta das chapas, sendo que existem 3 tipos diferentes como veremos a seguir:

1 – Placa de gesso na cor branca ou Standard

  • Essa é a placa mais simples de todas e a mais barata. Só pode ser aplicada em lugares secos.

2 – Placa de gesso na cor verde

  • Podem ser usadas em cozinhas, banheiros e lavanderias. Possui na sua fórmula aditivos fungicidas e silicone, isso lhe permite um contato maior com a umidade.

3 – Placa de gesso na cor vermelha

  • Indicadas onde as paredes terão contato com o calor.
  • As placas de cor vermelha são utilizadas perto de lareiras, cozinhas ou qualquer área que apresente risco de incêndio.
  • Apresentam na sua formulação a lã de vidro.

A escolha correta das placas e os cuidados com a montagem e acabamento do Drywall, de fato são os fatores que determinam a sua durabilidade.

E caso seja preciso realizar a manutenção do drywall, basta recortar a área danificada e fixar um pedaço novo do gesso acartonado, usando as mesmas técnicas descritas na preparação das paredes.

Ainda não está convencido(a)? Vamos as vantagens que uma construção projetada com Drywall pode oferecer.

drywall
Elegância e refinamento.
Fonte: thefis (www.thefis.org)
  • Ao contrário do que se comenta, as chapas de gesso acartonado podem sim receber umidade, enquanto outras ainda são resistentes ao fogo, tudo dependerá dos locais onde serão aplicadas;
  • Por possuírem um espaço interno vazio, mesmo sem o preenchimento de lã de rocha ou fibra de vidro, as paredes em drywall tem isolamento acústico e térmico superior as paredes de alvenaria;
  • Tubulações hidráulicas e elétricas podem ser antecipadas em projeto, evitando principalmente os recortes nas paredes;
  • Não é preciso acompanhar as vigas no alinhamento das paredes, elas podem ser fixadas em qualquer ponto nivelado e que apresente resistência quando forem parafusadas;
  • Montagem rápida e praticamente sem entulhos;
  • Ganho de área livre;
  • A limpeza pode ser feita com água e panos umedecidos;
  • Acabamento linear muito superior aos rebocos;
  • Após sua montagem e secagem das massas, qualquer tipo de revestimento pode ser aplicado;
  • O custo pode chegar a 12% mais barato que a alvenaria tradicional.

Algumas Desvantagens

  • As principais desvantagens estão relacionadas aos locais onde será aplicado o sistema drywall e os cuidados com o manuseio e utilização depois de montado;
  • Com relação ao manuseio, antes de mais nada é preciso entender que as placas que revestirão as paredes são frágeis até que sejam parafusadas nas estruturas de aço;
  • Em contrapartida, mesmo depois de parafusadas, as placas não suportam as mesmas cargas, se compararmos à alvenaria convencional;
  • As placas de gesso não aceitam muito bem locais de grande umidade, salvo as fabricadas para atender a essas características, contudo elas inevitavelmente são mais caras;
  • Já que as placas possuem papel na sua composição, por mais que se tenha cuidado, a umidade pode fazer proliferar fungos;

Ao passo que o sistema drywall vai sendo cada vez mais utilizado, não conhecer suas características técnicas, por consequência é a maior desvantagens de todas, posto que cada um dos três tipos de chapas possui suas especificidades.

Quanto custa uma estrutura em Drywall?

Primeiramente é preciso compreender que uma estrutura em drywall pode ser fabricada de diversas maneiras.

A estrutura mais conhecida, ou seja, uma parede de drywall custa de R$ 80,00 a R$ 100,00 o metro quadrado.

Essa estrutura é formada pelas placas standard e os perfis de aço possuem medidas padronizadas, sendo assim as cargas que suportam também são limitadas.

Suportam pesos entorno de 10 kg quando fixadas diretamente nas placas e 18 kg se forem fixadas nos perfis de aço.

Da mesma forma, as placas de gesso modelo standard, aplicadas nos forros custam aproximadamente R$ 60,00 o metro quadrado.

drywall
Sistema drywall de construção
Fonte: flickr (www.flickr.com)

Esses são os valores mais conhecidos, porém, um bom projeto em drywall irá levar em conta outros aspectos.

Por exemplo, as paredes próximas a lareiras, fornos e churrasqueiras, inevitavelmente exigirão placas fabricadas contra incêndio. Banheiros, cozinhas e lavanderias necessitam das placas desenvolvidas para suportar umidade.

Antecipar possíveis locais que exijam maior resistência mecânica também irá encarecer o preço final.

Outrossim, caso ainda se decida isolar as paredes com lã de rocha, por exemplo, será preciso rever os valores.

Sendo a lã de rocha a mais utilizada, nos casos de paredes drywall, o comum é adquirir em placas de 1,2 m x 0,6 m.

Essas placas variam entre R$ 15,00 a R$ 30,00, dependendo da densidade que será necessária.

Por fim, o preço de uma boa instalação em Drywall dependerá de tudo que será preciso adequar para garantir que a estrutura seja segura e confortável.

Esperamos que agora seja possível você optar pelas estruturas em Drywall com segurança. Mas caso ainda tenha alguma dúvida, não se preocupe, vamos responder o mais breve possível.

 

O que achou desta matéria?

Clique para avaliar!

Avaliação média / 5. Votos: